Dicas de Webwriting: Como Seu Cliente se Comporta na Web


As facilidades do mundo digital nos últimos anos trouxeram mudanças no comportamento do consumidor. Saber como seu cliente se comporta na web vai fazer toda a diferença na qualidade do conteúdo que você produz para seu site, blog e mídias sociais. Veja aqui algumas dicas de Webwriting (Redação para Internet):

É importante saber que a leitura on-line é diferente da leitura de um documento impresso, um jornal ou um livro.
 
Basicamente essa diferença reside em 3 fatos:

  1. na tela, a leitura é 25% mais lenta e desconfortável do que no papel;
  2. a leitura na tela é interativa, ou seja, você pode chamar o usuário a realizar uma ação;
  3. a internet é um grande banco de dados com mecanismos de busca de informação (
ou seja, o leitor pode pesquisar um mundo de informações com um clique).

Por conta dessas características, o usuário tem preguiça de ler; na maioria das vezes, ele não lê o texto todo; ele está sempre a um clique de sair da sua página; o bom conteúdo pode prendê-lo, mas outros fatores (como um design ruim ou muita poluição visual) tem o poder de expulsá-lo da sua página.

Por isso, é tão importante que você conheça os Princípios do Webwriting, antes de elaborar seu conteúdo. (Dica de livro sobre este assunto: “Webwriting, Redação para a Mídia Digital”, de Bruno Rodrigues)

  • O Primeiro Princípio é o da Persuasão: persuadir é diferente de convencer. Você precisa fazer com que o usuário seja atraído e envolvido pela sua mensagem e, ao final, execute uma ação. É fundamental que todo o seu foco esteja concentrado nele: usuário (audiência). Escrevi o texto Escreva para persuadir, não para convencer que fala exatamente sobre isto.
  • O Segundo Princípio é o da Objetividade: a regra é ser o mais objetivo possível. Lembre-se que a leitura no computador ou tela é desconfortável e o usuário está a um clique de sair de sua página.
 Então, entregue o máximo de informação, porém com o mínimo de caracteres possíveis. Evite floreios e adjetivos; substitua palavras mais longas por sinônimos mais curtos; corte palavras desnecessárias.
  • O Terceiro Princípio é o da Visibilidade: Imagine que sua página ou seu site é como uma vitrine numa loja. É preciso pensar na melhor maneira de dispor o seu produto (informações), da mesma forma que você precisa “atualizar as prateleiras”.
 
Como citado anteriormente, um design ruim tem o poder de expulsar o visitante de seu conteúdo.

O pioneiro no estudo sobre a disposição da informação na mídia digital foi Jakob Nielsen, conhecido como o pai da usabilidade.

Bem, por hoje é só. Utilize os Princípios acima ao preparar seu conteúdo para site, blog ou mídias sociais. Deixe seu comentário, ou se conhecer alguém que gostaria de saber mais sobre como funciona o comportamento do usuário na internet, compartilhe este post.


sobre Valeria Pinheiro

Ajudo empreendedores individuais e empresas a fazerem sua mensagem funcionar no mundo on-line. Sou profissional de Comunicação e Marketing com mais de 15 anos de experiência, Coach e Practitioner em Programação Neurolínguistica (PNL).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *